Próxima Notícia!

O Blog da Trammit Publicidade.

EAD – Educação a Distância: sim ou não?

EAD – Educação a Distância: sim ou não?

Foi-se o tempo em que ter um diploma era suficiente.

Hoje todos buscam mais, sempre mais. Seja dentro da sua área profissional, área pessoal ou até mesmo curiosidade.

São inúmeros cursos que prometem nos formar ou especializar em curto espaço de tempo e até sem sair de casa.

Os cursos em Educação a Distância (EAD) estão ganhando um espaço cada vez maior em todas as áreas profissionais.

O que há pouquíssimo tempo gerava dúvida, agora atrai a grande maioria das pessoas. O motivo é simples: rapidez, praticidade, comodidade, atualização e a própria valorização dada pelas empresas.

Não adianta diploma sem conhecimento. É preciso estudar mais!

 

Mas será que é possível mesmo aprender a distância?

Estudos recentes revelam que sim, e mais que isso: é extremamente positivo ao nosso cérebro cursos a distância.

Se você acredita que não serve para aprender nada a distância, o seu cérebro te dirá o contrário.

Faça o teste.

Quanto mais exposto aos movimentos, sons, cores e formatos diferentes que a EAD nos coloca, mais o nosso cérebro capta e guarda essa informação. Isso quem está dizendo não somos nós, mas sim neurologistas.

Acumulamos aprendizados durante a nossa vida toda. E o nosso cérebro funciona assim: ele se modifica, sempre que é exposto a estímulos diferenciados, desenvolvendo novas e inúmeras conexões mentais.

 

Não confunda aprendizado com concentração. Longas horas de estudo somente trazem a ilusão de que está sendo produtivo. O cérebro precisa de movimento, pausa e adora variações. Quanto mais diversidade, mais o cérebro potencializa o aprendizado.

 

Todo estudo é sem dúvida importante demais, portanto diversifique, valorize as novidades e experimente.

Só não esqueça que dormir bem é um dos fatores mais importantes para se aprender melhor, seja em cursos presenciais ou à distância (EAD)!

 

Veja mais informações de como surgiu o Ensino à Distância (EAD) e suas curiosidades: Clique aqui.

Comentários no Facebook